Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

1. Dia (Dom) – Recife / Olinda

Imagem
Capital de Pernambuco até 1937, Olinda possui importante conjunto arquitetônico colonial e por isso em 1982 seu centro histórico foi declarado Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO. A Fundação de Olinda data de 1535. Olinda foi elevada a vila por Duarte Coelho Pereira, donatário da capitania de Pernambuco, que se tornou capital. Visita à pé pelo centro histórico com destaque para Alto e Igreja da Sé (1537), antigo Mercado de Escravos, ladeira e Convento de São Francisco (1585), Palácio Episcopal e o Mosteiro de São Bento que alojou o primeiro curso de direito do Brasil.

2. Dia (Seg) – Olinda / Bezerros

Imagem Imagem
Após café da manhã viagem para alojamento na Reserva ecológica da Serra Negra, com seus açudes, fontes minerais, grutas, mirantes, formações rochosas, trechos de mata atlântica e diversas opções de trilhas ecológicas. No artesanato, apresenta a produção de máscaras e bois em papel maché, além dos brinquedos em madeira e das frutas em cerâmica. Visita ao Centro de Artesanato Pernambucano.

3. Dia (Ter) – Bezerros / Buíque / Reserva kapinawá

Imagem Imagem
Visitaremos a reserva indígena Kapinawá, onde encontraremos belíssimo artesanato em palha, peças produzidas pelos próprios índios, cerâmica utilitária, bordados, renda renascença e tapeçaria. Os indígenas mostram seus dons artísticos fabricando instrumentos e utensílios necessários. Os índios antepassados ensinaram-lhe a trabalhar apenas o necessário e a dividir tudo o que se produz. O sentimento de unidade mantêm-lhes coesos e a divisão de trabalho é pelo sexo e idade. Caminhada do à Serra do Elefante e a noite assistiremos ao Toré e ao samba de coco, dançados pelos índios em torno do cruzeiro da Igreja de São Sebastião, na reserva indígena.

4. Dia (Qua) – Buíque / Vale do Catimabu

Imagem
Pela manhã visita aos cânyons do Parque Nacional Vale do Catimbau, complexo de serras, vales e rochas, que impressiona por sua grandiosidade, beleza, primitivismo e formações geológicas. O Vale do Catimbau tem cênicas formações rochosas, mais a maior atração são as inscrições rupestres feitas há pelo menos 5 mi.l Depois da Serra da Capivara, é o mais importante parque arqueológico do país, com 23 sítios catalogados. Os grafismos foram feitos por tribos de épocas distintas, que utilizavam-se de diferentes técnicas de pintura. Apreciaremos áreas com até 50 cores de argila diferentes. À tarde faremos visita a "Igrejinha", onde nós encontraremos formações de rocha típicas. Visitaremos ainda a casa de artesanato de Zé Bezerra. Jantar com música popular e danças.

5. Dia (Qui) – Buíque / Alcobaça

Imagem Imagem
Pela manhã visitaremos o Sítio Alcobaça, com pinturas rupestres de diferentes épocas, assim como inscrições em baixo relevo. As pinturas rupestres mostravam como nossos ancestrais viveram: cabaças, orgias sexuais e animais desconhecidos, mostram que não só os custumes mudaram, mas também a paisagem. Almoçaremos na sombra de umbuzeiros. À tarde trilha à Serra das Torres, antigo vulcão frustado. Não perderemos o maravilhoso por do sol deste magnífico lugar.

6. Dia (Sex) – Buíque / Ibimirim

Imagem Imagem
Pela manhã conheceremos o Parque Nacional Vale do Catimbau. Na Serra do Quiridalho abrigos naturais, cavernas e inscrições rupestres, a Lagoa do Puiu com as águas da margem esquerda com elevada salinidade, e as da direita doces; as Furnas do Capu e da Lagoa do Puiu são antigos cemitérios indígenas. Imbimirim vive num constante “Dia de todos os Santos”, com grande produção artesanal de imagens sacras em madeira. Os trabalhos em tecelagem, fibra, palha, plumaria e sementes são destaques pela perfeição. Em noite de lua cheia assistiremos aos rituais do “Praiá” realizado na reserva indígena Kambiwá.

7. Dia (Sáb) – Buíque / Caruaru / Recife

Imagem Imagem
Pela manhã seguiremos para Caruaru, considerada pela UNESCO, “o maior centro de arte figurativa das Américas”, ressalta-se pela produção artesanal e pelos festejos juninos, ganhando o título de “Capital do Forró”. Visitaremos o Alto do Moura, residência e oficina de diversos artistas do barro. Continuação para alojamento em Recife.

8. Dia (DOM) – Recife / Tour Histórico

Imagem
Em 1637, Maurício de Nassau assumiu o governo de Pernambuco. Liderou uma revolução urbana no Recife: muitas ruas e pontes foram construídas. Visitaremos a cidade, incluindo a praia e Igreja de Boa Viagem, Rios Capibaribe Beberibe e a Capela Dourada, passando pelo Forte de Cinco Pontas, Ruas do Sol e Aurora, Forte do Brum, Pátio de São Pedro, Campo das Princesas, Ponte Maurício de Nassau (mais antiga do Brasil). Visita a Olinda, capital de Pernambuco até 1837, possui importante conjunto arquitetônico colonial e por isso em 1982 seu centro histórico foi registrado Patrimônio Cultural da Humanidade por UNESCO, Cidade monumento histórico e artístico universal.