Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

1. Dia (Dom)– Recife / Tour Histórico / Olinda

Imagem
Em 1637, Maurício de Nassau assumiu o governo de Pernambuco. Liderou uma revolução urbana no Recife: muitas ruas e pontes foram construídas. Visitaremos a cidade, incluindo a praia e Igreja de Boa Viagem, Rios Capibaribe Beberibe e a Capela Dourada, passando pelo Forte de Cinco Pontas, Ruas do Sol e Aurora, Forte do Brum, Pátio de São Pedro, Campo das Princesas, Ponte Maurício de Nassau (mais antiga do Brasil). Visita a Olinda, capital de Pernambuco até 1837, possui importante conjunto arquitetônico colonial e por isso em 1982 seu centro histórico foi registrado Patrimônio Cultural da Humanidade por UNESCO, Cidade monumento histórico e artístico universal.

2. Dia (Seg) – Recife /Porto de Galinhas / Caruaru

Imagem
Depois do café da manhã, continuaremos a Porto de Galinhas, paraíso que encanta a todos, um nos maiores atrativos turísticos do estado de Pernambuco. Paisagem paradisíaca com águas cristalinas habitadas por inúmeros peixinhos coloridos, rodeada por recifes de corais. Um lugar onde a natureza é esplêndida. Turistas podem tomar uma jangada até as piscinas naturais ricas em fauna e flora. Muitos peixes e corais coloridos dão à água uma coloração especial. Caranguejos e grandes áreas de mangue são comuns em nosso itinerário. Uma boa visita é ao Projeto Hippocampus, que cultivam e preservam cavalos-marinhos, e está aberto diariamente para visitação no manguezal Maracaípe, que é uma praia vizinha a Porto de Galinhas onde os surfistas encontram boas ondas.

3. Dia (Ter) – Caruaru / Buíque

Imagem Imagem
Pela manhã partiremos para Caruaru considerada pela UNESCO como maior centro de arte figurativa das Américas, onde se destacam seus artistas com a destreza de suas obras e os festivais do mês de Junho, ganhando para si o título de “Capital do Forró”. Visitaremos o Alto de Moura, residência e ateliers de vários artistas que trabalham com argila.

4. Dia (Qua) – Buíque / Reserva Kapinawá

Imagem
Pela manhã visitaremos a Reserva Indígena de Kapinawá e viajaremos para a Serra do Elefante. Pela tarde participaremos do samba de coco, bailada por índios ao redor da cruz da Igreja de São Sebastião no interior desta Reserva. O canto e a dança destinam-se antes de tudo aos rituais. Provaremos, acompanhando os rituais, o famoso Bode no Buraco.

5. Dia (Qui) – Buíque / Vale do Catimbau

Imagem
Após café da manhã, visita às gargantas, uma área de cumes, vales e rochas, que imprime magníficas formações de rocha e beleza primordial. O vale de Catimbau tem formações de rocha dramáticas, mas as atrações principais são as inscrições rupestres, feitas há pelo menos cinco mil anos atrás. Após o Parque da Serra da Capivara, este é o parque arqueológico mais importante no país, com os 23 locais catalogados. Os gráficos foram feitos por tribos de eras diferentes, que usou técnicas diferentes de pinturas. As rochas têm 50 diferentes cores. Almoço típico em casa local. À tarde faremos visita a "Igrejinha", onde nós encontraremos formações de rocha típicas. Visitaremos ainda a casa de artesanato de Zé Bezerra. Jantar com música popular e danças.

6. Dia (Sex) – Buíque / Alcobaça

Imagem
Pela manhã visitaremos o Sítio Alcobaça, com pinturas rupestres de diferentes épocas, assim como inscrições em baixo relevo. As pinturas rupestres mostravam como nossos ancestrais viveram: caçadas, orgias sexuais e animais desconhecidos, mostram que não só os custumes mudaram, mas também a paisagem. Almoçaremos na sombra de umbuzeiros. À tarde trilha à Serra das Torres, antigo vulcão morto. Não perderemos o maravilhoso por do sol deste magnífico lugar.

7. Dia (Sáb) – Buíque / triunfo

Imagem
Após café da manhã saída para apreciarmos a belíssima vista da Pedra do Sobrado, grande lajedo onde encontraremos além da paisagem, a estação de pesquisa agrícola da Universidade Rural de Pernambuco. Hoje viajaremos desvendando parte do maravilhoso planalto nordestino. Suas formas mais características são a velha região montanhosa da Borborema e grandes chapadas como a do Araripe que terminam em formas de escarpas. Entre as escarpas e a Borborema surgem as depressões, que são regiões baixas e que correspondem exatamente às zonas mais áridas do nordeste do Brasil. A zona do Cariri apresenta relevos do tipo Chapada, uma das regiões mais importantes do Nordeste. A grande quantidade de vegetação no Sopé do relevo é resultado da maior quantidade de água que penetra entre as rochas e formam nascentes na parte inferior. Jantar no balneário do Caldas onde desfrutaremos de suas águas termais. Alojamento.

8. Dia (Dom) – Triunfo / Juazeiro do Norte

Imagem Imagem
O padre Cícero Romão Batista é o grande nome da religiosidade nordestina. Após ter operado um suposto milagre, foi proibido de celebrar missas. Depois de morrer, em 1934, tornou-se uma espécie de santo popular. Conheceremos a estátua do Padre Cícero com 25 metros de altura e 8 metros de base. O dia do romeiro, que antecede o dia de finados, reúne mais de 500 mil pessoas. Visitaremos a capela de N Sra do Perpétuo Socorro (1908) com o túmulo de Padre Cícero e a matriz N Sra das dores (1887) na praça dos romeiros. O museu Memorial Padre Cícero reúne objetos, pinturas e fotos ligadas à vida do religioso.

9. Dia (Seg) – Juazeiro do Norte / Picos / Oeiras

Imagem
Visita ao Museu Paleontológico em Santana do Cariri. Coberto pelo mar há milhões de anos, a chapada do Araripe é um dos sítios arqueológicos mais importantes do país. O museu reúne cerca de 700 fósseis de peixes, insetos, répteis, anfíbios e vegetais, alguns conservados pelo solo agreste por mais de 100 milhões de anos. Seguiremos viagem passando por Picos, várzea cercada de montanhas com cumes agudos e cortada pelos rios Itaim, Riachão e das Guaribas. Núcleo da mais importante área agropecuária piauiense, a bacia do Canidé, Picos cultiva alho, algodão, feijão, milho, cebola e vários cereias. A pecuária é a segunda atividade econômica. Na indústria extrativista, a cera de carnaúba é o principal produto. Visitaremos a primeira capital do estado do Piauí com suas casas e construções coloniais.

10. Dia (Ter) – Oeiras / Serra da Capivara

Imagem
Pela manhã viajaremos ao Parque Nacional da Serra da Capivara. Sítios Arqueológicos e pinturas rupestres mostram como era a vida de nossos antepassados: caçadas, orgias sexuais, animais desconhecidos, e baleias comprovam que tanto a paisagem quanto os costumes mudaram muito. Conheceremos 129.140 hectares da maior concentração de sítios pré-históricos da América entrelaçando-se em vegetação de caatinga. As maiores atrações do parque são 260 sítios arqueológicos, catalogados com 30 mil pinturas rupestres e considerado Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO. Caminharemos pelo Baixão da Perna, cânion de 40m e não perderemos a visita à Toca de Cima do Pilão, pequena gruta iluminada pela luz do sol.

11. Dia (Qua) – Serra da Capivara

Imagem
Hoje visitaremos o Desfiladeiro da Capivara com seus magníficos sítios arqueológicos, ricos em pinturas rupestres. Percorreremos trilha com vegetação densa (2 Km) até o Boqueirão do Papagaio onde encontraremos alguns abrigos rochosos com pinturas pré-históricas inigualáveis. Os sítios do circuito dos veadinhos são alcançados por trilha íngreme (2h00), mas seremos recompensados com pinturas únicas na América Latina utilizando a cor azul.

12. Dia (Qui) – Serra da Capivara

Imagem
Pela manhã visitaremos o Baixão da Pedra Furada, cânion de 100m, composto por vários sítios arqueológicos. No Boqueirão da Pedra Furada registramos os vestígios mais antigos da ocupação das Américas. É a principal atração com passarelas e iluminação noturna. A visita ao alto da Pedra Furada é íngreme, mas somos recompensados com a paisagem. À tarde visitaremos o Baixão do Sítio do Meio, segundo mais importante do parque, com figuras rupestres de mais de 25 mil anos. No local foi encontrada uma machadinha de pedra polida com 9.200 anos. Passaremos, também, no Baixão das Mulheres, cânion de 60 m com três sítios arqueológicos, registrando suas pinturas rupestres (1h00 de caminhada).

13. Dia (Sex) – Serra da Capivara

Imagem
Após café da manhã percorreremos trilha ao Caldeirão do Rodrigues e das Canoas apreciando vales e cristas de impressionantes desfiladeiros. O caldeirão do Rodrigues é um reservatório de água e tem 2 sítios arqueológicos com pinturas rupestres. À tarde apreciaremos o ritual de retorno das Andorinhas para pernoite com suas inusitadas acrobacias aéreas e sons característicos. Retorno ao hotel para pernoite e jantar com a deliciosa comida típica nordestina: galinha caipira, bode assado, ensopado de carneiro ou carne de sol.

14. Dia (Sáb) – Serra da Capivara / Petrolina

Imagem Imagem
Hoje pela manhã caminharemos pelo Baixão da Perna, cânion de 40m, conhecendo seus 12 sítios arqueológicos e não perderemos a visita à Toca de Cima do Pilão, pequena gruta iluminada com energia solar. No local foram encontradas fósseis. À tarde viagem para alojamento em Petrolina (269 Km). Sugerimos jantar no bodódromo.

15. Dia (Dom) – Petrolina

Imagem Imagem
A lenda diz que, quem bebe da água do São Francisco, nunca mais deixa de voltar a Petrolina. E a lenda torna-se um fato. Com suas águas mornas e límpidas, o Rio São Francisco é uma das grandes atrações de Petrolina, a cidade que mais cresce no Nordeste. Petrolina oferece passeio de barco, a prática de esportes náuticos e a poesia de suas águas que cantam em conjunto com o vento. Tudo em Petrolina é pra se ver, tudo em Petrolina é para se sentir e manter para sempre na lembrança.